9 de fev de 2011

Part of me

Indecisão me toma como o sono chega na madrugada de vez, como a neve chega no inverno inglês.
Sinto que não devo mais persistir nessas ilusões, devo desencanar dessas emoções, mas tenho contrariedades dentro de mim. Meu coração nunca andou de mãos dadas com a razão, quando o assunto é amor, relacionamento e paixão.

Parte de mim diz que não devo viver ilusões, que tenho que pensar antes de me declarar, que nunca posso aos seus pés rastejar. Implorar que volte pra mim, que atribua mais uma chance a nós dois. Essa parte é a razão, a mente, o pensar.
Mas a outra parte de mim grita que tenho q correr atras de quem tanto amo, de viver esse ardor com toda intensidade, não deixar passar tudo aquilo que foi e é verdade, e amar perdidamente nem que seja na saudade. Que tanto grita assim? O Coração.
São duas controvérsias, dois conflitantes em opiniões. quando decido dar ouvidos a razão o coração toca minha alma e me enche de uma certa esperança. Isso tudo me confundi, me deixa indeciso.
Sei que não sou o único que vive isso, que já sentiu esse turbihão de emoções e dúvidas. Mas sei que muitos se sentem igual a mim, pois isso atingi bastante gente e é muito difícil sua resolução.

Mas quer saber... viverei intensamente cada momento, sentirei cada sentimento, farei o que sentir por dentro a todo instante. Não me preocuparei com o futuro... serei o presente e agirei como me der vontade... quando as consequências chegarem, vou lá e enfrento. Pois luto até o fim.

3 comentários:

  1. Ser MAIS e se sentir muito MAIS é essencial meu lindo entaum, viva sim! se tiver afim VÁ ATÉ NINGUEM NUK FOI...e simplesmente seja vc!!

    ADOREI COMO SEMPRE...

    XERO VISSE

    ResponderExcluir
  2. Olá Manuel vim retribuir a visita e dar uma olhada em seu blog... Sim, a luta entre a razão e a emoção está sempre presente para todos nós... O que fazer então? Seguir a razão ou o coração? Eu geralmente escolho ouvir o coração, ainda que minha escolha possa me levar a um dia sofrer... adorei o seu blog, tem muita sinceridade nele... beijos, Milene.

    ResponderExcluir