30 de mar de 2011

Black Swan

Como um Cisne Negro

Ela se vê voando rumo a escuridão
Naquela profunda e triste sensação
Que está a perder de vez seu coração
Sem na vida encontrar motivação
Ela chora e grita pedindo perdão
Mais de nada adianta
Ela já se tornou um cisne escravo da solidão.

Manoel Britto

8 comentários:

  1. Olá e ai como vai?
    Belo texto em alusão ao filme.
    Me disseram que é muito bom o filme.
    Se for tão bom quanto seu texto...vou conferir logo xD
    Abraços e tudo de bom
    ....................
    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  2. belo post, cheio de sentimentos, em especial angustia e solidão...
    gostei!
    bjos

    ResponderExcluir
  3. Passando pra deixar um oi e um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Que o poeta Manoel Britto me desculpe a ousadia, mas não quero ser um cisne negro. Eu quero ser o falcão ou a águia, e voar alto. Minha beleza estará na minha força bruta.

    Abraços do Gaúcho.

    ResponderExcluir
  5. Amei o post, como sempre vc se expressa muito bem atraves das palavras....


    Bjussssss***

    ResponderExcluir
  6. Lindo poema Manoel.
    Gostei de tudo.

    Beijo
    Fernanda

    ResponderExcluir
  7. A solidão está sempre presente.Belo poema, parabéns.

    ResponderExcluir