19 de nov de 2010

Um desconcertado desabafo

Hoje tive um dia muito tenso. Já acordo sendo vítima de injúrias que não fiz por merecer. Tive uma manhã solitária, despedaçada. Até parece que havia sido deplorado de todo o mundo e estivesse em uma sala de muitos zumbis onde eu era insignificante e inexpressivo. Não tenho vergonha de ser criticado, invejado e relativo. Mas achei que não merecesse tanto pavor pessoal em meu coração desolado e minha presença insolente.
Sinto que até os que mais amo - que aprendi a amar, não conseguem me entender, talvez nem tentem. Eu tento mostrar meu amor por todos, minha compaixão, carinho. O quão minha importância pode influenciar na vida de tal pessoa. O que recebo em troca: Críticas, desconfianças infundadas, voto de insôlencia e quase nenhuma importância. Sinto-me verdadeiramente comparada a um lixo, tenho certeza que se alguém ler isso pensará ser drama, expressões patéticas. Isso por que ela não está sentindo uma agulha de tamanho imenso furando e corroendo por todo o seu coração, fazendo o despencar com uma árvore que alguém julga ser sem utilidade quando ela apenas que seu reconhecimento de importância para a vida de muitos.
Ser ignorado pela pessoa que tanto ama, traido pelos amigos em que tanto confiou durante todo este ano. Parece que tudo se esvaiu ao modo que o ano se destilou e chegou ao fim. Estou TREMENDAMENTE MAGOADO, DESTRUÍDO. E sei que não é culpa dos outros totalmente. E sim quase toda minha. Ninguém me mandou ser tolo, confiante, sensível demais, carinhoso e atencioso a quem nunca mereceu nem um pouco disso.
Hoje, mais do que sempre, posso dizer: SOU APENAS MAIS UM SENTIMENTAL QUE ESPERAVA SINCERIDADE DA VIDA MAS SÓ TIVE O QUE NÃO QUERIA.
Quem acredita sempre alcança, só que acho que acabarei passando a não acreditar que um dia, ao menos um, eu possa dizer que sou inteiramente feliz. I'm sad. very sad.


... Peço desculpa aos leitores que não procuram ler sentimentos alheios, apenas falei o que sentia na opção de ser dono dos meus sentimentos e não poder controlá-los. Obrigado a atenção concedida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário